sábado, 16 de outubro de 2010

Tumores Ósseos Cancerosos Primários

O mieloma múltiplo, o tipo mais comum de tumor ósseo canceroso primário, origina-se em células da medula óssea, as quais produzem células do sangue. O mieloma múltiplo ocorre mais comumente em indivíduos idosos. Esse tumor pode afetar um ou mais ossos e, por essa razão, o indivíduo pode apresentar dor em um ou em vários locais. O tratamento é complexo e pode incluir a quimioterapia, a radioterapia e a cirurgia.

O osteossarcoma (sarcoma osteogênico) é o segundo tipo mais comum de tumor ósseo canceroso primário. Embora seja mais comum em indivíduos com idade entre 10 e 20 anos, os osteossarcomas podem ocorrer em qualquer idade. Algumas vezes, os indivíduos mais idosos com doença de Paget apresentam esse tipo de tumor. Cerca de 50% desses tumores ocorrem no joelho ou em torno dele. No entanto, eles podem originar- se em em qualquer osso. Esses tumores tendem a disseminar-se aos pulmões. Geralmente, eles causam dor e edema. Para confirmação do diagnóstico, é necessária a realização de uma biópsia.

Geralmente, os osteossarcomas são tratados com uma combinação de quimioterapia e cirurgia. Comumente, a quimioterapia é administrada em primeiro lugar. Freqüentemente, a dor desaparece durante essa fase do tratamento. Cerca de 75% dos indivíduos com esse tipo de tumor sobrevivem pelo menos cinco anos após o estabelecimento do diagnóstico. Atualmente, com o avanço dos procedimentos cirúrgicos, é possível se salvar o membro inferior ou superior afetado, enquanto que, no passado, era comum a amputação do membro. Os fibrossarcomas e os histiocitomas fibrosos malignos apresentam uma similaridade com os osteossarcomas no que que diz respeito ao aspecto, à localização e aos sintomas. O tratamento também é o mesmo.

Os condrossarcomas são tumores formados por células cartilaginosas cancerosas. Muitos deles apresentam um crescimento lento ou são de baixo grau e, freqüentemente, são curados com o tratamento cirúrgico. Entretanto, alguns deles são tumores de grau elevado e tendem a apresentar metástases (disseminação). Para o estabelecimento do diagnóstico, é necessária a realização de uma biópsia. O condrossarcoma deve ser totalmente removido na cirurgia, haja vista ele não responder à quimioterapia nem à radioterapia. A amputação de um membro superior ou inferior é raramente necessária. Mais de 75% das indivíduos com condrossarcoma sobrevivem se o tumor for totalmente removido.

O tumor de Ewing (sarcoma de Ewing) afeta os homens com maior freqüência que as mulheres e ocorre mais comumente em indivíduos com idade entre 10 e 20 anos. Quase todos esses tumores ocorrem nos membros superiores ou inferiores, podendo, no entanto, afetar qualquer osso. A dor e o edema são os sintomas mais comuns. Os tumores podem tornar-se bastante grandes, afetando algumas vezes toda a extensão de um osso. Embora a tomografia computadorizada (TC) e a ressonância magnética (RM) possam ajudar na determinação das dimensões exatas do tumor, é necessária a realização de uma biópsia para o diagnóstico. O tratamento consiste em uma combinação de cirurgia, quimioterapia e radioterapia e ele é eficaz em mais de 60% dos casos.

O linfoma maligno do osso (sarcoma das células reticulares) geralmente afeta os indivíduos na quarta ou quinta década da vida. Esse tumor pode originar-se em qualquer osso ou em outra região do corpo e disseminar-se aos ossos. Normalmente, ele causa dor, edema e propensão à fratura. O tratamento consiste em uma combinação de quimioterapia e radioterapia e parece ser tão eficaz quanto a remoção cirúrgica. Raramente, é necessária a realização de uma amputação.