terça-feira, 19 de outubro de 2010

Abcesso abdominais








Os abcessos podem formar-se abaixo do diafragma, na parte média do abdômen, na pelve ou atrás da cavidade abdominal. Os abcessos também podem se formar em qualquer órgão abdominal (p.ex., rins, baço, pâncreas, fígado ou próstata) ou ao redor do mesmo. Freqüentemente, os abcessos abdominais são causados por uma lesão, uma infecção ou uma perfuração intestinal ou por uma infecção de um outro órgão abdominal.

Um abcesso abaixo do diafragma pode formar-se quando o líquido infectado (p.ex., de um apêndice perfurado) é deslocado para cima devido à pressão dos órgãos abdominais e ao vácuo criado quando o diafragma movimenta-se durante a respiração. Os sintomas podem incluir a tosse, a respiração dolorosa e dor em um ombro (um exemplo de dor referida que ocorre porque o ombro e o diafragma são inervados pelos mesmos nervos e o cérebro interpreta erroneamente a origem da dor).

Os abcessos localizados na parte média do abdômen podem ser decorrentes de uma ruptura de apêndice, de uma perfuração do intestino grosso, de uma doença intestinal inflamatória ou de uma diverticulose. Normalmente, o abdômen é doloroso na área do abcesso.

Os abcessos pélvicos são decorrentes dos mesmos distúrbios que causam os abcessos localizados na parte média do abdômen e de infecções ginecológicas. Os sintomas podem incluir a dor abdominal, a diarréia decorrente de irritação intestinal e a necessidade urgente ou freqüente de urinar devido à irritação da bexiga.

Os abcessos localizados atrás da cavidade abdominal (denominados abcessos retroperitoneais) localizam-se atrás do peritôneo, a membrana que reveste a cavidade e os órgãos abdominais. As causas, as quais são similares àquelas de outros abcessos abdominais, incluem a apendicite (inflamação do apêndice) e a pancreatite (inflamação do pâncreas). A dor, geralmente na região lombar, piora quando o indivíduo flexiona o membro inferior sobre o quadril.

Os abcessos renais são causados por bactérias oriundas de uma infecção que se disseminou aos rins através da corrente sangüínea ou por uma infecção do trato urinário que se propagou ao rim e, em seguida, se disseminou ao tecido renal. Os abcessos localizados sobre a superfície dos rins (abcessos peri-renais) são quase sempre causados pela ruptura de um abcesso localizado no interior do rim, o qual dissemina a infecção para a superfície e para o tecido circunvizinho.

Os sintomas de um abcesso renal incluem a febre, calafrios e dor na região lombar. A micção pode ser dolorosa e, algumas vezes, a urina torna-se sanguinolenta. Os abcessos do baço são causados por uma infecção que se dissemina através da corrente sangüínea até o baço, por uma lesão do baço ou pela disseminação de uma infecção a partir de um abcesso próximo (p.ex., um abcesso localizado abaixo do diafragma). A dor pode ocorrer no lado esquerdo do abdômen, nas costas ou no ombro esquerdo.

Os abcessos localizados no interior do pâncreas comumente formam-se após um episódio de pancreatite aguda. Freqüentemente, os sintomas (febre, dor abdominal, náusea e vômito) surgem uma semana ou mais após o indivíduo se recuperar de uma pancreatite. Os abcessos hepáticos podem ser causados por bactérias ou por amebas (parasitas unicelulares). As amebas oriundas de uma infecção intestinal atingem o fígado através dos vasos linfáticos.

As bactérias podem chegar ao fígado provenientes de uma vesícula biliar infectada; de uma ferida penetrante ou fechada; de uma infecção abdominal (p.ex., um abcesso próximo) ou de uma infecção transportada através da corrente sangüínea e originária em qualquer outra região do corpo. Os sintomas de abcessos hepáticos incluem a perda de apetite, a náusea e a febre.

O indivíduo pode ou não apresentar dor abdominal. Os abcessos prostáticos geralmente são decorrentes de uma infecção do trato urinário que acarretou uma prostatite (infecção da próstata). Esses abcessos ocorrem mais comumente nos homens com idade entre 40 e 60 anos. Tipicamente, um indivíduo com um abcesso prostático apresenta micção dolorosa, freqüente ou difícil. Menos comumente, ele sente dor interna na base do pênis e observa a presença de pus ou de sangue na urina.

Diagnóstico e Tratamento

Em quase todos os casos de abcessos abdominais, o pus deve ser drenado, seja através de uma cirurgia ou de uma punção com agulha através da pele. Para orientação do posicionamento da agulha, o médico utiliza a tomografia computadorizada (TC) ou a ultra-sonografia. A análise laboratorial do pus identifica o microrganismo infectante, permitindo selecionar o antibiótico mais eficaz.