quinta-feira, 21 de abril de 2011

Sídrome do túnel do carpo


Um pouco de anatomia para compreendermos o que é esta Síndrome:
O túnel do Carpo, como o próprio nome diz, é um canal de 3 cm de espessura composto pelo nervo mediano e 9 tendões responsáveis pela flexão dos dedos da mão na região do punho. Este nervo origina-se no antebraço, passa por este canal e vai inervar o polegar, o indicador, o dedo médio e face interna do quarto dedo.

A Síndrome do Túnel do Carpo ocorre pela compressão do nervo mediano causadas pelo aumento do tecido sinovial (tipo de cartilagem) que envolvem os tendões diminuindo o “espaço” dentro do canal. Este tecido sinovial tem a função de nutrir os tendões e eles podem “inchar” quando ficam inflamados, ou seja, quando sofrem microtraumatismos (por esforços repetitivos), ou por lesões tumorais, alterações hormonais ou até por uso de alguns medicamentos.
É comum estar associada a outras doenças como o Diabetes Mellitus, artrite reumatóide, Síndrome Dolorosa Miofascial e doenças da tireróide. É mais comum em mulheres na faixa de 35-60 anos..

O sintoma principal é a dormência nesta região (o termo médico é parestesia). É uma sensação de formigamento que acontece mais frequentemente a noite por causa da retenção de líquido comum nesse período. Com o tempo, os sintomas vão aumentando e o paciente pode referir diminuição da sensibilidade tátil (não consegue definir estruturas pequenas que segura), aparecimento de dor e até alterações motoras em casos graves (perda da força, não consegue segurar pequenos objetos). Em 2/3 dos casos ocorre bilateralmente, ou seja, nas duas mãos.
Algumas atividades que realizam flexo-extensão aumentam os riscos de levar a uma Síndrome do Túnel do Carpo: bancários, digitadores, metalúrgicos, músicos, que utilizam calculadoras, ordenhadores de leite, etc…

O diagnóstico da síndrome do túnel do carpo é feito através da avaliação clínica e comprovado através de um exame chamado eletroneuromiografia. Neste exame, os nervos do antebraço, punho e dedos são estimulados por choques de pequena intensidade sendo o resultado medido na tela do aparelho e assim, comprovada a compressão do nervo mediano.

O tratamento da Síndrome do Túnel do Carpo depende da fase em que se encontra a compressão nervosa. Nos casos leves, o tratamento medicamentoso e de reabilitação com imobilização, fisioterapia e afastamento dos fatores causais podem ser eficazes. Este tratamento deve ser orientado por um médico Fisiatra para melhor resultado. Em determinados casos, a cirurgia para descompressão de nervo está indicada.