sexta-feira, 15 de abril de 2011

ATM


É uma articulação que permite a interação do esqueleto móvel com o esqueleto fixo da face, ou seja, mandíbula (maxilar inferior) com a maxila. (maxilar superior). É a única do corpo humano que apresenta duas articulações que se movimentam simultaneamente.

É uma articulação sinovial (lubrificada) que contém um tecido fibrocartilaginoso recobrindo e protegendo o tecido ósseo, disco (menisco), cápsula articular, vasos e nervos.

Assim como outras articulações sinoviais do corpo humano, tais como: Joelho, ombro e pequenas articulações, ela também é passível de doenças e lesões intra-articulares.




• Doenças que acometem a ATM

Pacientes que apresentam disfunções (dificuldade dos movimentos) mandibulares, tais como dificuldade à mastigação, limitação de abertura bucal, otalgia (dor de ouvido), estalos, estalidos, creptações (sensação de areia intra-articular), zumbido, vertigens (tonturas), podem estar com a articulação ou as articulações comprometidas. Sabendo que esta articulação necessita de uma perfeita lubrificação para trabalhar adequadamente, qualquer interrupção na produção de liquido sinovial (liquido produzido pelo organismo que lubrifica e oxigena as estruturas articulares) acarretará em doenças que levam a degeneração das estruturas intra-articulares, levando a um quadro de extrema dor na região articular, irradiando para os músculos da face, cabeça e pescoço, muitas vezes incapacitando o paciente de suas atividades profissionais e sociais. As doenças mais comuns encontradas são:

a- Sinovite
b- Capsulite
c- Artrite
d- Condromalacia - Grau I-II-III-IV
e- Artrose
f- Aderências
g- Fibrose intra-articular
h- Derrame intra-articular
i- Gota
j- Artrite reumatoide
k- Condromatose


• Lesões articulares

As estruturas internas da ATM também são passíveis de lesões. Pessoas que abrem a boca além do limite fisiológico podem comprometer os ligamentos internos e externos da articulação. Esta situação denomina-se luxação, a qual é comumente observada em indivíduos que ao bocejar ou durante um tratamento odontológico prolongado podem apresentar dificuldade ou mesmo não conseguirem fechar a boca. Tal fato deve-se ao rompimento ou estiramento dos ligamentos internos, ocorrendo ao mesmo tempo o deslocamento anterior do disco articular. Outra situação também observada é a limitação gradual que se tornará severa, a ponto de limitar seriamente os movimentos de abertura bucal, geralmente provocado por trauma na região da mandíbula. Pessoas que foram submetidas a parto a fórceps com trauma mais acentuado na região mandibular podem desenvolver um quadro de anquilose óssea (limitação completa dos movimentos mandibulares). Hábitos parafuncionais ocasionados por distúrbios psicosomáticos, tais como apertamento dental e o ato de roer unhas, poderão provocar lesões nas estruturas articulares.

a- Ruptura ligamentar ( quando os ligamentos se rompem)

b- Deslocamento anterior do disco articular (ocasionado pela ruptura ou estiramento dos ligamentos)

c- Perfuração do disco ( provocado por trauma do osso da mandíbula contra a base do crânio)

d- Arrancamento da cartilagem (acontece geralmente em função de um trauma na região do queixo)

• Sintomas

Os sintomas clássicos mais observados das doenças e lesões da ATM são estalos e ou creptações acompanhados de dores que se irradiam para região do ouvido. Gradualmente estes sintomas poderão evoluir para dores irradiadas nos músculos da face, cabeça e pescoço, levando o indivíduo a limitação dos movimentos mandibulares, caracterizando uma disfunção articular.

• Diagnóstico das disfunções da ATM :

É realizado através de anamnese (historia clinica do paciente), exame físico apurado, auxiliado por exames de imagens, tais como: Rx, tomografia computadorizada , ressonância nuclear magnética e artroscopia das ATMs.

Importante informar que as pessoas que são acometidas por doenças ou lesões intra-articulares, acabam desenvolvendo mialgia facial (dores musculares na face), dificultando muitas vezes o diagnóstico. Após exame clinico realizado e com os resultados dos exames por imagem interpretados, definiremos o plano de tratamento, que poderá ser através de intervenção cirúrgica para a correção das estruturas internas da articulação, devolvendo assim a função fisiológica da mesma. Complementando-se o tratamento pós-operatório para as dores faciais com fisioterapia específica, uso de antiinflamatórios não hormonais, relaxantes musculares e em casos específicos administra-se drogas ansiolíticas.

• Tratamento

O tratamento instituído geralmente é multidisciplinar, quando o diagnóstico é de desordem intra-articular o tratamento proposto será através de cirurgias minimamente invasivas, tais como a artroscopia , ancoragem do disco articular até cirurgias para substituição das articulações as custas de próteses metálicas, que estão indicadas para os casos de anquilose ou degeneração da articulação. Após a intervenção intra-articular, paciente seguirá os protocolos de : Reabilitação oral, fisioterapia pós cirúrgica e fonoterapia se necessário.

Pacientes que apresentam desordens intra-articulares associadas a dores musculares, devem seguir os protocolos combinados de tratamento, tais como cirurgia, fisioterapia, administração de antiinflamatórios não hormonais, relaxantes musculares e ansiolíticos