terça-feira, 5 de abril de 2011

Deformidade de Madelung



A deformidade de Madelung se caracteriza pela subluxação do carpo em relação ao antebraço, devido ao fechamento parcial da fise distal do rádio na sua porção medial e volar, acarretando aumento da inclinação da superfície articular do rádio, observado tanto na incidência radiográfica póstero-anterior (em torno de 60 graus), quanto na inclinação volar, na incidência em perfil (em torno de 35 graus). A ulna se toma longa e proeminente no dorso do punho, com o crescimento. A hereditariedade está presente em 40% dos casos, determinada por gen autossômico dominante, com penetração de 5%, e ligado ao sexo, sendo que é duas vezes mais freqüente no sexo feminino.

Esta deformidade foi descrita inicialmente em 1834 por Dupuytren. Muitos estudos tentaram esclarecer a etiologia da deformidade. Malgaigne, em 1855, relacionava a deformidade à frouxidão ligamentar, denominando-a de “luxação patológica do punho”. Foi também associada a outras causas, como distúrbios musculares, ocupação do paciente ou distúrbios nutricionais, displasia óssea e discondrostose e relacionada a causa vascular devido a comprometimento do pedículo interosséo da fise distal do radio.

A primeira dissecção anatômica foi realizada por Jean (1875); entretanto, a primeira descrição clínica detalhada foi feita em 1878 por Madelung, o qual atribuiu a deformidade a um distúrbio do crescimento da articulação do punho, denominando-a subluxação anterior espontânea.

Verificamos na literatura indefinição em relação à etiologia e tratamento, principalmente sobre a melhor técnica cirúrgica. Iniciamos, em 1987, trabalho prospectivo com o objetivo de avaliar os resultados do tratamento cirúrgico de pacientes portadores da deformidade de Madelung, submetidos à osteotomia de rádio com cunha de subtração dorsolateral associada ao encurtamento da ulna.