quinta-feira, 10 de março de 2011

Cisto de Baker


A causa exata do cisto de Baker ou do Cisto Poplíteo, como também é chamado, ainda é desconhecida. Entretanto, o cisto pode ocorrer quando a produção de fluído está aumentada, como no caso de artrite ou após uma lesão. Isso ocorre devido à reação do próprio organismo para tentar conter tal “lesão“, sendo que na maioria das vezes os cistos de Baker desaparecem naturalmente após alguns anos.

Outra forma de se adquirir tal problema é o trauma. Dependendo do tipo de lesão do joelho e seus componentes (menisco, ligamentos etc.) pode-se desenvolver o cisto de Baker. Nas crianças, o cisto de Baker aparece como um inchaço indolor atrás do joelho, que se percebe melhor quando o mesmo está totalmente estendido. Um cisto grande pode causar certo desconforto ou rigidez, no entanto, normalmente é assintomático.

Ele causa inchaço indolor (e algumas vezes causa dor) atrás do joelho. O cisto se assemelha a uma bexiga cheia de água e que se for grande atrapalha na flexão e extensão da perna. Ele também pode causar certo desconforto quando se está fazendo alongamentos da panturrilha (gastrocnêmio).

O diagnóstico é feito pelo médico. Ele examinará os joelhos e procurará por uma saliência na parte de trás deles. Normalmente a ressonância magnética não é necessária, mas pode ajudar a determinar o tamanho e características do cisto, além de ser útil para verificação de lesões intra-articulares (que podem ser a verdadeira causa do Cisto).

Como ele é tratado - O desconforto inicial, causado pelo cisto de Baker, pode ser tratado com uma faixa elástica. O médico poderá prescrever medicamento antiinflamatório e o cisto poderá ser drenado. Em casos raros, poderá ser feita uma cirurgia para remoção do cisto. Algumas vezes o cisto desaparece sozinho. Se o cisto não causar incômodo, não há necessidade de tratamento.