sábado, 12 de março de 2011

Caixa Torácica


Osossos do tórax formam uma verdadeira caixa com algumas fenestrações, que são os espaços entre as costelas. Elas formam um verdadeiro gradil, denominado gradil costal. Além disso o esqueleto torácico possui uma abertura superior que permite que as diversas estruturas do pescoço ganhem a cavidade torácica. E possui uma abertura inferior que, como veremos em outro capítulo, é fechada pelo diafragma.

O tórax é constituído:
- posteriormente pelas 12 vértebras torácicas
- anteriormente pelo osso esterno
- lateralmente por 12 pares de costelas.



Esterno
É um osso chato, plano e ímpar. É um importante osso hematopoético. Articula-se com as clavículas e com as cartilagens das 7 primeiras costelas. Constituído por 3 partes: manúbrio, corpo e processo xifóide.



Manúbrio
Tem um formato de trapézio. Possui:

- Uma face anterior, que também pode ser chamada de face externa ou face peitoral. Essa face é bastante lisa e levemente convexa

- Uma face posterior, que também pode ser chamada de face interna ou pleural. Ela é côncava e lisa.

- Uma borda superior onde encontramos a Incisura Jugular as Incisuras Claviculares

- Duas bordas laterais, onde cada borda possui uma incisura para a articulação da 1º costela e outra incisura para a articulação da 1/2 da 2º costela.

- Uma borda inferior, que se articula com o corpo. Essa articulação é chamada de sínfise manúbrioesternal e forma um ângulo, o Ângulo esternal ou Ângulo de Louis.



Corpo do Esterno
É a maior parte do osso esterno, tem formato alongado e possuí varias incisuras laterais para as articulações com as costelas. Possui:

- Uma face anterior ou que é levemente convexa.

- Uma face posterior, que também pode ser chamada de face interna ou pleural, côncava e lisa.

- Uma borda superior que se articula com o manúbrio, é a sínfise manúbrioesternal.

- Uma borda inferior que se articula com o processo xifóide

- Duas bordas laterais que possuem diversas incisuras para articular o manúbrio às costelas.



Processo Xifóide
É a menor das 3 porções do esterno, alem de ser bastante delgado. Pode possuir um forame, o forame do processo xifóide.



Costelas
São ossos alongados, em forma de semi-arcos, que se articulam com as vértebras e com o esterno. Temos ao todo 12 pares de costelas e podemos classifica-las em:

- Verdadeiras: são 7 pares de costelas que se articulam diretamente com o esterno através das cartilagens costais. Ressaltando que são as 7 primeiras costelas.

- Falsas: 3 pares, elas se articulam indiretamente com o esterno

- Flutuantes: 2 pares, são os dois últimos pares de costelas. Recebem esse nome porque não se articulam com o esterno, estão fixadas somente às vértebras.



1ª Costela:
Possui algumas características especiais, à saber:

- Uma face Superior
Sulco Ventral - passagem da veia subclávia
Tubérculo Escaleno - Inserção do músculo escaleno anterior
Sulco Dorsal - passagem da artéria subclávia
Tubérculo do Músculo Escaleno Médio

- Uma borda externa

- Uma borda interna



2ª a 12ª Costelas:
Possuem como características gerais:

- Uma extremidade posterior
Cabeça da Costela - Parte da costela que articula-se com a coluna vertebral (vértebras torácicas)
Fóvea da Cabeça da Costela
Colo da Costela - Porção achatada que se estende lateralmente à cabeça
Tubérculo da Costela - Eminência na face posterior da junção do colo com o corpo
Fóvea do Tubérculo da Costela
Ângulo Costal

- Um corpo. Este corpo possui um sulco, o sulco costal que é muito importante, pois nele passa o feixe vasculonervoso intercostal.