sábado, 12 de fevereiro de 2011

Tronco pulmonar


Tronco Pulmonar

Embora transportando sangue venoso do ventrículo direito para os pulmões, o tronco pulmonar devido a sua origem embrionária, constituição, e modo de distribuição, é uma artéria. Conduz o sangue em direção centrífuga em relação ao coração, sob pressão relativamente alta (pressão sistólica de 20 a 30 mmHg) e de modo pulsátil. Como a parede da aorta, possue estrutura elástica.

O tronco pulmonar é a continuação do cone arterial ou infundíbulo do ventrículo direito, à esquerda da aorta ascendente. E recoberto pelo pericárdio fibroso e está incluído junto com a aorta numa bainha frouxa de pericárdio seroso que algumas vezes extende-se até o ligamento arterial.

Apresenta direção oblíqua e cranial da direita para a esquerda e posteriormente assumindo uma curva de concavidade posterior e direita. Seu diâmetro varia em torno de 30 milímetros e apresenta um comprimento de 40 a 55 milímetros até sua divisão em artérias pulmonares direita e esquerda. Ao nível de sua bifurcação, o tronco pulmonar apresenta em sua parede posterior uma crista que representa o local de origem dos seus ramos.

Apresenta duas partes: intra e extrapericárdica. A parte intrapericárdica é a mais extensa e o pericárdio fibroso e seroso fixam-se no vaso em torno de 40 a 50 milímetros acima de sua origem.

Radiograficamente o trajeto do tronco pulmonar pode ser indicado por uma linha traçada do centro da porção cranial da sombra cardíaca até o extremo esquerdo do ângulo esternal, posteriormente à segunda cartilagem costal esquerda. O tronco forma a margem esquerda da sombra cardíaca nas incidências radiográficas anteriores, inferiormente ao botão aórtico.

As artérias pulmonares e seus ramos são em grande parte responsáveis pelas imagens radiográficas normais das raízes e dos hilos pulmonares.

Anteriormente, o tronco pulmonar relaciona-se com o pericárdio e a parede anterior do tórax. Sobre o precórdio, o tronco pulmonar projeta-se na borda esquerda do esterno entre a terceira e a quarta cartilagens costais esquerdas. Posteriormente, o tronco pulmonar relaciona-se com a face anterior do átrio esquerdo do qual está separado por dupla loja serosa, o seio transverso do pericárdio. À esquerda, relaciona-se com a aurícula esquerda e inferiormente com a porção inicial da artéria coronária esquerda, que a circunda no sentido medial para a lateral e posteroanteriormente. A direita, o tronco pulmonar está unido à aorta ascendente por bainha do pericárdio seroso. Inicialmente, em sua origem, localiza-se anteriormente à aorta. À medida que assume trajeto cranial e oblíquo, ocupa então a posição medial e posterior em relação à aorta ascendente.

Em sua porção extrapericárdica, o tronco pulmonar é curto. Relaciona-se posteriormente com a bifurcação da traquéia, anteriormente com a pleura mediastínica pulmão esquerdo e pleura mediastinal e medialmente com a aorta ascendente.

O tronco pulmonar bifurca-se em artérias pulmonares direita e esquerda.

Artéria Pulmonar Direita:

Apresenta 5 a 6 centímetros de extensão e 20 a 25 milímetros de calibre. E mais longa e calibrosa que a esquerda.

Após sua origem no tronco pulmonar, se dirige horizontalmente da esquerda para a direita e ligeiramente no sentido ânteroposterior para o hilo do pulmão direito.

Relaciona-se posteriormente com a bifurcação da traquéia e brônquio principal direito, anteriormente com a aorta e veia cava superior, inferiormente com a aurícula esquerda e veias pulmonares direitos e cranialmente com a aorta e veia ázigos.

Artéria Pulmonar Esquerda

É mais curta e menos calibrosa que o direita medindo 3 a 5 centímetros de comprimento e 15 a 20 milímetros de diâmetro. Apresenta trajeto ligeiramente oblíquo póstero-latero-anteriormente em direção ao hilo do pulmão esquerdo.

Relaciona-se posteriormente com o brônquio principal esquerdo, anteriormente com o pulmão esquerdo e veias pulmonares esquerdas que o cruzam oblíquamente, inferiormente com o átrio esquerdo e superiormente com o arco aórtico ao qual está unida pelo ligamento arterial.

Cirurgias Realizadas no Tronco da Artéria Pulmonar

O tronco da artéria pulmonar é sede, predominantemente, de doenças congênitas.

A lesão cirúrgica mais freqüentemente encontrada é a estenose do tronco da artéria pulmonar, que pode estar (ou não) associada à estenose pulmonar valvar e/ou subvalvar. A correção cirúrgica se faz com circulação extracorpórea; realiza-se uma arteriotomia longitudinal na artéria pulmonar, e implanta-se uma "telha"("patch") de material orgânico (geralmente Dacron ®) ou inorgânico (geralmente pericárdio bovino), procurando aumentar o diâmetro da artéria pulmonar.