quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

INCIDÊNCIA PA: DEDOS DA MÃO


Patologia Demonstrada
Fraturas e/ou luxações das falanges distal, média e proximal; metacarpo distal e articulações correlatas são demonstrados.
Alguns processos mórbidos, tais como osteoporose e osteoartrite, podem igualmente ser demonstrados.

Dedos Rotina básica
PA
Lateral

Fatores Técnicos
Tamanho do filme - 13 x 18 cm. Divisão em terços transversais


Proteção Colocar escudo de chumbo no colo do paciente.

Posição do Paciente
Sentar o paciente na extremidade da mesa, com o cotovelo fletido a cerca de 90° com a mão e o antebraço apoiados na mesa.

Posição da Parte
Mão pronada com os dedos esticados.
Centralizar e alinhar o eixo maior do dedo afetado em relação ao eixo maior da porção do filme que está sendo exposta.
Separar os dedos adjacentes do dedo afetado.

Raio Central
RC perpendicular direcionado para a articulação interfalangia­na proximal (lFP)
DFoFi mínima de 40 polegadas (100 cm).
Colimação Colimar nos quatro lados da área do dedo acometido.

Critérios Radiográficos
Estruturas Mostradas: . Falanges distal, média e proximal; metacarpo distal e articulações associadas
Posição: . O eixo longitudinal do dedo deve ser alinhado e ficar paralelo à borda lateral do filme. Nenhuma rotação dos dedos é evidenciada pelo aspecto simétrico de ambos os lados ou concavidades das diáfises das falanges e metacarpianos distais. A quantidade de tecido em cada lado das falanges deve aparecer igualmente. Os dedos devem ser separados com nenhuma superposição de tecidos moles. As articulações interfalangianas devem aparecer abertas, indicando que a mão foi completamente pronada.
Colimação e RC: . A colimação deve ser visível nos quatro lados da área dos dedos acometidos. O RC e o ponto médio do campo de colimação devem ser a articulação IFP.
Critérios de Exposição: Densidade ótima e contraste sem movimento demonstram as margens de tecido mole e trama trabecular óssea clara e nítida.