domingo, 3 de julho de 2011

Uretrocele


Ureterocele é um distúrbio incomum caracterizado pela dilatação da porção inferior do ureter no local em que ele penetra a bexiga; é associado a uma estenose (estreitamento) da porção mais inferior do ureter.

A doença é congênita e pode ser descoberta nos bebês durante o ultra-som materno pré-natal. Quase sempre, os bebês manifestam infecções do trato urinário graves. Esta doença pode causar uropatia obstrutiva crônica, unilateral ou bilateral, do(s) rim(ns) afetado(s).

Sintomas:

dor no flanco
intensa
pode irradiar-se para a virilha, genitais e coxa
espasmódica ou que produz cólicas
unilateral

dor nas costas, possivelmente unilateral
dor abdominal
sangue na urina
freqüência/urgência urinária aumentada
micção noturna excessiva

Sinais e exames:
Pressão sangüínea elevada. O exame de urina tipo I pode mostrar sangue na urina ou sinais de infecção urinária. O pielograma retrógrado pode revelar ureterocele e hidronefrose (rim aumentado por causa da retenção de urina atrás da obstrução). No IVP (pielograma intravenoso), as duas condições podem ser observadas. Um ultra-som abdominal ou uma tomografia computadorizada do abdome podem mostrar a hidronefrose.

Tratamento:
O objetivo do tratamento é aliviar a obstrução. Dispositivos conhecidos como stents (pequenos tubos para dilatação colocados dentro do ureter ou na pélvis renal) podem proporcionar alívio a curto prazo dos sintomas. A correção cirúrgica da ureterocele geralmente resolve o problema.

Expectativas (prognóstico):
O prognóstico varia. Se a obstrução puder ser curada, o dano será temporário. Se, no entanto, a condição persistir, esse prejuízo será permanente, embora o outro rim possa continuar funcionando normalmente.

Complicações:

Dano dos rins permanente, com redução ou perda da função (de um rim),
infecção do trato urinário, recorrente ou crônica.