sábado, 21 de maio de 2011

Respostas

Como pode ser feito esse material espaçador?
Respostas:
1) Wilhelm Roentgen descobriu os raios X.

2) A ampola na forma de pêra foi desenvolvida por William Crookes.

3) Roentgen pesquisava o tubo de raios catódicos e percebeu um efeito luminoso numa placa de material fluorescente de cianeto de bário. A partir desse efeito, descobriu os raios X.

4) O átomo é a menor partícula da matéria e é formado por prótons, nêutrons e elétrons.

5) Os raios de frenagem são resultantes da interação do elétron de um átomo com o núcleo de outro átomo; ou seja, é quando os elétrons de um átomo se chocam com os prótons de outro átomo, gerando energia, alta, baixa e fótons (os raios X).

6) Os raios característicos são resultantes de saltos orbitais dos elétrons nas diferentes camadas da eletrosfera.

7) Manuel de Abreu foi o criador da abreugrafia, que é um exame radiológico do pulmão.

8) Henrique Dodsworth foi o primeiro a incorporar a radiologia à clínica e que afirmou que os raios X não erram. Quem erra é o médico, que não sabe interpretar.

9) Álvaro Alvim foi o primeiro a instalar um aparelho de raios X no Rio de Janeiro e a radiografar o caso de xilófagas no mundo.

10) José Maria Cabello foi professor de radiologia da Casa de São Paulo e o primeiro Presidente do Colégio Brasileiro de Radiologia.

11) Feres Secaf foi professor da Escola Paulista de Medicina e Ex-Presidente do Colégio Brasileiro e da Sociedade Paulista de Radiologia.

12) O efeito de Bremsstrahlung ocorre quando um elétron acelerado tem a sua trajetória repentinamente frenada devido ao efeito da positividade do núcleo atômico.

13) O efeito fotoelétrico é um processo pelos quais os elétrons de condução em metais e em outras substâncias absorvem energia do campo eletromagnético e escapam da substância.

14) A abreugrafia foi inventada por Manuel de Abreu e consiste num tipo de radiografia que registra a fotografia da imagem do tórax na tela radioscópica.

15) O vácuo na ampola de vidro tem pó objetivo impedir qualquer tipo de bloqueio no trajeto dos elétrons até o anodo para gerar os raios X.

16) Os raios X são produzidos a partir da desaceleração do elétron em sua trajetória devido à positividade do núcleo do átomo. Uma parte da energia cinética torna-se energia alta, outra parte torna-se energia baixa e a energia residual produz os raios X.

17) O primeiro a incorporar a radiologia à clínica médica foi Henrique Toledo Dodsworth.

18) A descoberta da radioatividade do Tório é mérito do casal Pierre e Marie Curie.

19) Aparelhos fixos são aqueles que possuem o anodo giratório. Exemplo: aparelhos de exames ambulatoriais.

20) A radiografia não é eficiente para visualizar tecidos moles porque estes deixam a radiação passar quase que completamente e não criam bons contrastes. Para este tipo de exame, o melhor método é a tomografia computadorizada.

21) Os raios catódicos são os elétrons em seus níveis orbitais. Eles dão origem aos raios X.

22) O primeiro a radiografar as xilófagas e a instalar o primeiro aparelho de raios X foi Álvaro Alvim.

23) A luz tem uma velocidade em torno de 300.000km/segundo.

24) Os aparelhos móveis ou transportáveis são aqueles cujo anodo é fixo. Exemplo: aparelhos usados em exames de CTI e Centro Cirúrgico.

25) O efeito Compton é o fenômeno que ocorre no átomo, onde um elétron passa parte de sua energia para outro elétron.

26) O efeito Pósitron é o fenômeno que explica a transformação de um elétron em 2 cátions e 1 ânion.

27) Radiação corpuscular é toda aquela que é gerada a partir do núcleo do átomo; também chamada de radiação nuclear. Um exemplo são as radiações alfa e beta.

28) Radiação eletromagnética é toda aquela que é produzida a partir de ondas eletromagnéticas. Um exemplo são as radiações gama e os raios X.

29) Radioatividade é a geração de radiação ou energia nuclear a partir do choque entre os átomos.

30) O elemento paralisador da emissão de nêutrons é a água.

31) As radiações geradas por eletromagnetismos são as energias gama e os raios X.

32) O tubo de raios X é um diodo de alta tensão e alto vácuo.

33) Os componentes do tubo de raios X são: catodo, anodo, tubo de vidro (ampola), rotor (tubo giratório) e o cabeçote (carcaça do tubo).

34) O catodo é a fonte de elétrons livres em um tubo de RX, com um filamento, que é feito de tungstênio.

35) O mA é a medida responsável pela corrente do aparelho.

36) Os focos são produzidos a partir de um circuito de baixa voltagem, gerador de tensão que provê a corrente para o filamento; Este filamento é aquecido até 280ºC; isso faz com que aumente a velocidade dos elétrons, fazendo-os escapar de suas órbitas, transformando-os numa nuvem de elétrons livres; a partir daí, são montados 2 filamentos diferentes: o foco grosso e o foco fino.

37) O foco grosso é utilizado para curtas exposições e imagens de baixa resolução (ossos). O foco fino é utilizado para imagens de alta resolução (órgãos).

38) KV é a medida de energia utilizada para a realização de um exame radiológico, em kilovolts.

39) Não há diferenças entre partículas e radiação alfa e beta.

40) Goniômetro é um aparelho que tem a função de encontrar os graus, em ângulos, para o exame radiológico.

41) Espessômetro é uma peça que tem a função de determinar a quantidade de KV a ser utilizada num exame radiológico.

42) O vidro pirex resiste a altas temperaturas, sua composição = 67% de SiC e 23% de B2O3, a ampola tem uma janela composta de Berílio.

43) A composição do vidro pirex é: 67% de SiC e 23% de B2O3, onde Si = silício, C = carbono, B = berílio, O = oxigênio.

44) A janela de vidro é composta de Silício, carbono, berílio e oxigênio.

45) Os raios X se originam no foco anódio e se projetam em todas as direções. A radiação que sai do cabeçote espalha-se por áreas.

46) Todas as possíveis falhas estão relacionadas com a característica do tubo: quando a temperatura do anodo é muito alta, ocorrem perfurações no anodo; pode haver também a inutilização do anodo durante elevadas exposições. É necessário utilizar o óleo isolante térmico.

47) O efeito anódio consiste na maior concentração de energia no lado do catodo. Como conseqüência, a intensidade dos raios X no lado catódico é menor do que no lado anódico.

48) Para que haja maior qualidade técnica do exame radiológico é necessário: a) colimação precisa da região a ser radiografada; b) aumentar o KV para exames no bucky; c) manter o mAs para não expor o paciente.

49) A borda inclinada do anodo serve para gerar o efeito anódio.

50) O isolamento do cabeçote garante uma maior vida útil da ampola. Além disso, proteger o técnico da radiação.

51) O óleo é um isolante térmico que fica na parte externa do tubo de raios X. Ele quebra a estabilidade da corrente e resfria o tubo.

52) Efeito talão é o mesmo que efeito anódio.

53) O gerador de raios X fornece energia elétrica para o tubo e permite a seleção de mA (energia dos RX), KVp (quantidade de RX) e mAs (tempo de exposição).

54) Os RX são produzidos quando elétrons acelerados interagem com a matéria. Assim, uma porção de energia cinética dos elétrons é convertida em radiação eletromagnética.

55) O efeito Edison é o aquecimento que causa a emissão de um elétron.

56) Eles interagem com o alvo através de uma porção de energia cinética dos elétrons, convertida em energia eletromagnética.

57) O efeito Forest é a aceleração dos elétrons pela grande potência do catodo (pólo negativo) para o anodo (pólo positivo).

58) A seleção da força do ponto focal e a capacidade de carga do gerador de RX devem ser igualadas às necessidades clínicas da imagem.

59) O transformador é um aparelho empregado para transferir a corrente elétrica e gerar uma alta voltagem contínua.

60) Eles operam apenas com correntes elétricas e em forma de ondas para ambos os lados.

61) A função do transformador é gerar uma alta voltagem contínua.

62) Os transformadores são classificados em:
- elevadores: têm enrolamentos na bobina secundária e
aumentam a voltagem de saída.
- isoladores: têm o mesmo número de enrolamentos nas bobinas
primária e secundária.
- redutores: têm uma proporção maior em enrolamentos nas
bobinas e têm a função de reduzir a voltagem de saída.

63) Radiação dispersa é o mesmo que radiação secundária, que é formada pelos raios que não atravessam o objeto radiografado.

64) Quando os raios X se chocam contra o objeto, alguns atravessam e outros são absorvidos. Os raios que atravessam irão formar a imagem radiológica.

65) Os raios primários são aqueles que atravessam o objeto radiografado e formam a imagem radiológica.

66) Os raios secundários são aqueles que não atravessam o objeto a ser radiografado e sim absorvidos pela matéria ou dissipados pelo meio ambiente.

67) A principal fonte de radiação dispersa é a parte do paciente que se irradia, pois se relaciona diretamente com o volume de matéria irradiada.

68) Podemos reduzir a radiação dispersa através do limite do feixe primário, que deve estar o tamanho e forma da área de interesse a ser diagnosticada.

69) O spott filme abrange uma área pequena na qual o técnico irá demarcar uma parte precisa a ser trabalhada.

70) Diafragma consiste em lâminas de chumbo com aberturas circulares ou retangulares colocadas perto da janela do tubo.

71) Desenfoque de grade consiste no posicionamento onde o ponto focal do tubo coincida com o ponto focal da grade e que seu raio central atravesse o centro da grade perpendicularmente.

72) Potter Bucky é uma bandeja que ajuda a dissipar a radiação secundária.

73) As grades consistem num dispositivo composto de tiras alternadas de chumbo, envolvidas em capas protetoras, que absorvem a radiação dispersa.

74) O material espaçador é útil para uma baixa absorção de raios X. Os espaçadores transparentes permitem a passagem da maioria dos RX primários até o filme.

75) O material espaçador pode ser de fibra ou de alumínio.