sexta-feira, 20 de maio de 2011

Corrupção

Uma pausa no que nos interessa.


Presos 11 acusados de corrupção na prefeitura de Campinas


Agência Brasil



SÃO PAULO - A polícia prendeu nesta sexta-feira (20) 11 pessoas acusadas de corrupção na prefeitura de Campinas. O vice-prefeito, Demétrio Vilagra e os secretários municipais Francisco de Lagos Viana Chagas (Comunicação) e Carlos Henrique Pinto (Segurança Pública) estão entre os acusados.

Os três tiveram tiveram a prisão temporária decretada pela Justiça e são considerados foragidos. Eles não foram localizados durante a operação do Ministério Público (MP). Além deles, foi decretada a prisão de seis suspeitos que estão foragidos.


Segundo o MP, as prisões são resultado de investigações sobre um esquema de fraudes em concorrências e contratação de serviços pela Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento (Sanasa), empresa de saneamento de economia mista controlada pela prefeitura de Campinas.


O Ministério Público não deu mais detalhes sobre a operação e nem sobre o valor movimentado pelos acusados, mas informou que uma grande quantidade de dinheiro, além de computadores, documentos digitais e papéis foram apreendidos.


Em Campinas foram presos o diretor da Sanasa Aurélio Cance Junior e os empresários Ricardo Cândia, Valdir Carlos Boscatto e Gregório Vanderlei Cerveira. Nas cidades de Jundiaí, Vinhedo, Jaguariúna e São Paulo também foram presos os empresários João Carlos Ibrahim Gutierrez, Marcelo Quartim Barbosa de Figueiredo, Luiz Arnaldo Pereira Mayer, Pedro Luiz Ibrahim Hallack, João Tomás Pereira Junior, Alfredo Ferreira Antunes e Augusto Ribeiro Antunes.


Estão foragidos os empresários Gabriel Ibrahim Guttierrez, Dalton dos Santos Avancini, Ivan Goretti de Deus, Emerson Geraldo de Oliveira, José Carlos Cepera e Maurício de Paulo Manduca.


De acordo com o MP, Oliveira, Cepera e Manduca já estiveram presos em outubro do ano passado por participação no comando de um esquema de corrupção e lavagem de dinheiro envolvendo prefeituras e empresas públicas nos estados de São Paulo e no Tocantins.


A Agência Brasil tentou contato com a Sanasa, mas não obteve sucesso. A prefeitura de Campinas informou que o prefeito da cidade, Hélio de Oliveira Santos, vai se pronunciar por meio de seu secretário jurídico, mas até o momento o pronunciamento não ocorreu.

************************************************************************************


OPINIÃO EPTV - Campinas acordou e a casa caiu
.


Campinas acordou cedo nesta sexta-feira. A casa havia caído! Centenas de policiais iniciavam a execução dos mandados judiciais para efetuar a prisão de 20 pessoas envolvidas nos escândalos de corrupção da Administração Municipal. 20 de maio de 2011,um dia histórico para a nossa cidade, que desde a sua fundação não viu algo semelhante.

Após quase 8 meses de investigações do Ministério Público, coordenadas por um jovem promotor e tendo sido aceita a denúncia resultante desse importante trabalho por um também jovem juiz, a nossa Campinas pode sonhar com o início de novos períodos na gestão da cidade.

Entre os diversos presos levados pelos camburões da Polícia Civil, o Sr Ricardo Cândia,o RC,o homem que chegou na cidade como um administrador público da confiança do Prefeito e tornou-se um operador dos negócios do grupo. Entre os foragidos, os dois mais próximos Secretários do Prefeito. O de Comunicação, Francisco de Lagos e o de Segurança,Carlos Henrique Pinto.A Secretária-Chefe de Gabinete e esposa do Prefeito Dr Hélio, a toda poderosa Dra Rosely só não foi presa por força de um habeas corpus preventivo. O vice-prefeito Demétrio Vilagra também teve a sua prisão decretada, mas não pode ser considerado um foragido por estar em oportunas férias no exterior.

Chegou a hora da verdade. Definitivamente Campinas não é Corumbá. A invasão de tantos personagens de comportamentos estranhos na Administração Municipal resultou na investigação do Ministério Público que teve legitimidade para representar os interesses da população. Hoje, com interesse, a população viu uma outra invasão: a dos policiais seguindo uma ordem judicial que, no mínimo, serve de exemplo às gerações futuras que o crime não compensa.

Incrível notar a inércia do Prefeito Dr Helio. Isolado e incapaz de uma única palavra esclarecedora da situação constrangedora em que se encontra: sua esposa e articuladora maior do governo impedida de ser presa por mandado preventivo e seus dois principais secretários foragidos da Polícia. Incrível ainda continuarem em seus cargos. A cidade não merece!! Desde o início da crise, nosso Prefeito não realizou qualquer defesa, não afastou nenhum acusado, não tentou ao menos liderar o seu grupo. Imaginar que a Dra Rosely voltou de uma licença médica com uma desastrosa entrevista e seguiu a vida normalmente, assim como o Sr de Lagos, o Sr Carlos Henrique, o Sr Cândia. Fica difícil imaginar que fizeram tão pouco da população de Campinas e que se basearam apenas na blindagem que a base do Prefeito na Câmara Municipal parecia garantir.

Se até hoje as denúncias nada apontaram contra o Prefeito, seu silêncio transmite à população o seu rabo preso com os encarcerados e foragidos. Teve ele o devido tempo para restaurar sua autoridade e não o fez. A Câmara Municipal parece agora mais sensível aos fatos tristes e notórios e já criou uma comissão para acompanhar de perto todas as denúncias. Entre a blindagem ao Prefeito ou o instinto de preservação dos vereadores,lembre-se que o ano que vem será de eleições.

Da nossa parte, continuaremos a cumprir o nosso dever. Informando a população o que fizemos desde o início das investigações, muitas vezes de forma exclusiva, com isenção e responsabilidade. É a nossa maneira de fazer jornalismo, acreditando que nossa audiência e nossos leitores merecem a absoluta verdade, que ajuda a construir uma grande cidade.



********************************************************************************