terça-feira, 3 de maio de 2011

Raios-x

Qual o impacto da invenção dos Raios-X no final do século 19 na história da Medicina? Para os médicos, o que ela representou na melhoria dos diagnósticos dos pacientes?

A 08 de novembro de 1895 Wilhelm C. Roentgen surpreende o mundo com o descobrimento dos Raios-X. Poucos acontecimentos na história da ciência provocaram impacto tão forte e esse com certeza terá um lugar entre as 10 maiores descobertas da Medicina de todos os tempos em qualquer lista que se promova. Os Raios-X marcam o início da aplicação da tecnologia na medicina. Permitiu que os médicos, que até então dispunham apenas dos seus sentidos para avaliação dos pacientes, pudessem passar a “ver” o interior do corpo sem danificá-lo, identificando os dados morfológicos e anatômicos de órgãos e estruturas.
Os Raios-X e os novos métodos de exames por imagem permitiram aos médicos diagnósticos mais precisos, tanto etiológicos como topográficos, e, principalmente, mais precoces, beneficiando os pacientes e otimizando a cura de muitas doenças até então tidas como incuráveis. O médico passou a ter maior segurança e apoio para tomar as decisões necessárias à conduta e ao tratamento. Propiciaram a documentação de todos os casos e possibilitaram a substituição de procedimentos cirúrgicos para diagnóstico e a introdução de técnicas terapêuticas menos invasivas.
Como foi sua utilização? A nova técnica foi logo utilizada ou houve resistência?

A exemplo de físicos e da imprensa, a comunicação da descoberta dos Raios-X por Roentgen apresentou também entre os médicos repercussões de toda ordem, tanto favoráveis como não. Enquanto a Europa acreditava numa revolução, a Associação Médica Americana mostrou resistência. Em pouco tempo, no entanto, os Raios-X tornaram-se uma verdadeira panaceia, tendo sua utilização indicada para os mais diversos fins e sem os cuidados que merecem o novo e desconhecido. O uso de Raios-X foi indicado inclusive para situações em que hoje há contraindicação, como, por exemplo, tratamento de calvície e para a fabricação de moldes de sapato, casos em que a radiação era provocada sem necessidade médica. O desenvolvimento técnico de aparelhos e a aplicação de medidas de proteção permitiram a produção de equipamentos seguros e eficazes para diagnóstico e terapia. Encontram-se hoje difundidos em toda prática médica e são as ferramentas mais importantes na agilização da elucidação de estados patológicos.
Quando a técnica chegou ao Brasil? Quem foi o primeiro a utilizá-la no país? Como a população recebeu o novo equipamento?

O primeiro aparelho de Raios-X chegou ao Brasil em 1897, era rudimentar e foi instalado na cidade de Formiga, Minas Gerais, pelo Dr. José Carlos Ferreira Pires. A primeira radiografia foi feita em 1898, de um corpo estranho na mão do então ministro Lauro Müller. As observações e pesquisas do Dr. Pires possibilitaram a publicação de muitos trabalhos em revistas científicas e congressos médicos.
Quais são as técnicas usadas hoje que derivam da invenção do Roentgen? Atualmente, os Raios-X são utilizados para quais finalidades?

Os Raios-X continuam a ter inúmeras aplicações clínicas e são utilizados rotineiramente na prática médica, odontológica e industrial. São cada vez mais necessários no atendimento de rotina e emergencial.
O desenvolvimento científico no decorrer do último século, a introdução de fármacos e a incorporação da informática possibilitaram agregar outros métodos de diagnóstico por imagem, tais como a tomografia computadorizada, a ressonância magnética, a ultrassonografia, a densitometria óssea e a medicina nuclear.