quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Prova

QUESTIONÁRIO SUS- SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE



01- Com relação ao funcionamento dos serviços privados de assistência à saúde, a Lei Orgânica de Saúde Nº8142/90 define que:
A. A regulamentação dos serviços privados, bem como os critérios e valores do Sistema Único de Saúde serão estabelecidos pelo Ministério da Saúde e pela representação regional dos hospitais;
B. A assistência `a saúde é vedada à participação direta ou indireta de empresas de capital estrangeiro;
C. A assistência à saúde é livre à iniciativa privada isentado-a de seguir as normas expedidas pela direção do SUS quanto às condições para o seu funcionamento;
D. A participação complementar dos serviços privados de saúde se dará mediante contrato ou convênio firmado pela Assembléia Legislativa, direção do SUS e o órgão de representação nacional dos hospitais;
E. Qualquer servidor público participará do controle da rede contratada pelo SUS.

02- No Brasil, como um todo, o Programa de Atenção Básica à Saúde é uma política que pretende:
A. Atingir áreas subdesenvolvidas e carentes em recursos;
B. Levar em conta as necessidades e o uso racional de recursos de uma localidade;
C. Fundamentalmente economizar recursos financeiros;
D. Utilizar pessoal leigo para atender usuários que não têm acesso ao sistema de saúde;
E. O pronto atendimento de urgência médicas por pessoal leigo sob suprvisão;

03- À concepção do Sistema Único de Saúde(sus), regulado pelo poder do Estado, corresponde:
A. Uma noção autoritária de política social que bloqueia o direito à livre organização do trabalho em saúde em um contexto de cidadania restrito;
B. Uma noção socialista de que a atenção à saúde deve ser estatal em um contexto de cidadania restrito;
C. Uma noção centralizadora e vertical do Estado como gestor único das políticas de saúde em um contexto de cidadania regulada;
D. Uma noção de Estado de bem-estar em que direitos sociais são elemento essencial em um contexto de cidadania plena;

04- A Constituição Federal Brasileira de 1988, artigo196, seção Saúde, garante ao cliente de forma exclusiva:
A. Serviços de atendimento de urgência;
B. Serviços de redução de riscos de doenças infecto-contagiosas;
C. Acesso aos serviços terciários de saúde;
D. Serviços de promoção, proteção e recuperação da saúde.


05- O Sistema Único de Saúde tem como uma de suas diretrizes a :
A. Participação da comunidade;
B. Prioridade para o atendimento de alta complexidade;
C. Centralização das ações de saúde no governo federal;
D. Prioridade para o setor privado de saúde;
E. Centralização das ações de saúde no governo estadual.

06- Os três gestores do SUS exercerão, em seu âmbito administrativo, a atribuição de:
A. Administrar os recursos orçamentários destinados, em cada ano à saúde pelo Ministério da Previdência Social;
B. Elaborar as normas técnicas para os estabelecimentos que prestam assistência à saúde pelo Sistema Previdenciário;
C. Definir as instâncias e mecanismos de controle avaliação e fiscalização das açòes e serviços de saúde;
D. Participar da formulação da política e execução das ações em prol da defesa nacional;
E. Elaborar a proposta orçamentária, em conformidade com as diretrizes definidas pelo Ministério do Planejamento e Gestão.

07- O sistema Único de Saúde, com sua política de organizar e reordenar os serviços e ações de saúde, conta, em princípio, com as seguintes parceiras:
A. Instituições Públicas Federais, Estaduais e Municipais;
B. Órgãos Municipais e indústrias farmacêuticas ;
C. Órgãos Municipais e Federais;
D. Órgãos Municipais e Estaduais.

08- O modelo médico assistencial dominante nos anos 70 caracterizou-se , principalmente, pela oferta de serviços de saúde da seguinte forma:
A. Universal à população brasileira, através da compra de serviços privados por meio do Instituto Nacional da Previdência Social;
B. Prioritário às populações urbanas, através da compra de serviços privados por meio das Secretárias Estaduais e Municipais de Saúde;
C. Prioritário às populações inseridas no mercado de trabalho formal, através da compra de serviços privados por meio do Instituto Nacional de Previdência Social;
D. Universal à população brasileira pelo Ministério da Saúde, complemento através da compra de serviços privados para os trabalhadores inseridos no mercado de trabalho formal.

09- Sobre a divisão de competências nas matérias dispostas na Lei Orgânica da Saúde:
I. Definir e coordenar os sistemas de redes integradas de assistência de alta complexidade.
II. Planejar, organizar, controlar e avaliar as ações e os serviços de saúde e gerir e executar os serviços públicos de saúde.
III. Identificar estabelecimentos hospitalares de referência.
IV. Executar serviços de vigilância epidemilógica.
Compete a esfera Municipal:
A. II e III somente.
B. I e II somente.
C. II somente.
D. II e IV somente.
E. I, II,III e IV.

10- Segundo o Capítulo da Saúde da Lei Orgânica do Município da Serra, NÃO implica atividades de proteção à saúde:
A. A vigilância epidemiológica;
B. A fiscalização do exercício de profissões relacionadas direta ou indiretamente com substâncias que possam provocar radioatividade e ionização;
C. A obrigatoriedade do planejamento da família;
D. O controle de qualidade da água oferecida para o consumo público;
E. O desenvolvimento de recursos humanos para a saúde.

11- A direção do SUS, no nível federal , é exercida pelo (a):
A. Previdência Social;
B. Conselho Nacional de Saúde;
C. Ministério da Saúde;
D. Conferência Nacional de Saúde;
E. Agência Nacional de Vigilância Sanitária;

12- A Constituição Federal de 1988 determinou que o SUS funcione de acordo com a seguinte diretriz:
A. Atendimento integral, valorizando os determinantes sociais do processo saúde/doença;
B. Atendimento individual, com prioridade para as atividades assistênciais e hospitalares;
C. Valorização das praticas sanitárias orientadas por campanhas verticais e permanentes;
D. Valorização das praticas sanitárias vinculadas, preferencialmente, a grupos inseridos formalmente no mercado de trabalho;
E. Valorização de ações curativas em detrimento das ações preventivas e promocionais.

13-Segundo a Lei Orgânica da Saúde( Lei 8.080/90), um critério para o estabelecimento de valores a serem transferidos a Estados, Distrito federal e Municípios é a /o:
A. Eficiência na arrecadação de impostos;
B. Perfil epidemiológico da população a ser coberta
C. Participação paritária dos usuários no conselho de sáude;
D. Alta cobertura do setor privado de saúde;
E. Aumento de impostos.

14- O princípio de Eqüidade do Sistema Único de Saúde diz respeito:
A. Á redistribuição de responsabilidades entre os três níveis de governo;
B. Á organização geral em níveis crescentes de complexidade com referência e contra-referência.
C. Ao investimento maior de recursos onde houver maior carência, visando diminuir as desigualdades;
D. Á extensão do poder decisório, gerencial e assistencial aos Estados.

15-A VIII Conferência Nacional de Saúde, realizada em Brasília em 1986, apresenta a saúde como:
A. Resultado do acesso do cidadão aos serviços de saúde, tanto preventivos quanto curativos;
B. Resultado da organização social da produção, abrangendo diversos aspectos das condições de vida;
C. Um complemento estado de bem-estar físico, psíquico e social , e não simplesmente a ausência de doença;
D. Um estado ótimo de adaptação do indivíduo, entre seu meio ambiente físico e social e suas características psíquicas.

15- O trabalho em equipe e a ampliação das ações de saúde coletiva pretendem transformar o modelo de assistência pela:
A. Retomada da visão do paciente de modo integral (biológico, psíquico e social).
B. Troca de conhecimento entre os diferentes profissionais, que per se é um processo de educação continuada;
C. Priorização das ações preventivas;
D. Hirarquização dos riscos de cada pessoa ou família;
E. Todas as alternativas anteriores.

16- O plano Diretor de regionalização do SUS
A. Nasce da pactuação entre os gestores municipais , sob a coordenação do gestor federal;
B. Serve como subsídio para a elaboração da Programação Pactuada e Integrada (PPI);
C. Serve como um subsídio para o Plano Nacional de Saúde;
D. Aumenta a capacidade de gestão federal do SUS;
E. Incrementa as relações competitivas entre gestores do sistema.

17- As ações de Atenção Básica de Saúde dirigidas a grupos específicos, em uma determinada localidade, são de responsabilidade:
A. Do Município
B. Da Secretária Estadual de Saúde
C. Da Assembléia Legislativa
D. Da União

18- A relação do setor privado de saúde com o SUS deve ser de caracter:
A. Competitivo
B. Minoritário
C. Obrigatório
D. Prioritário
E. Complementar

19- Na assistência primária de saúde, constituem ações de promoção:
A. Saneamento básico, exames laboratoriais e odontológicos periódicos;
B. Adoção de estilo de vida saudável com prática de exercícios e o não-uso de fumo, álcool e drogas;
C. Atendimento ao cliente nos hospitais especializados e ações de reabilitação;
D. Internação hospitalar para tratamento com uso de medicamentos e tecnologia de alta complexidade.

20- O nível mais alto de decisão sobre a Saúde no Brasil é do (da):
A. Ministério da Saúde;
B. Ministério da Previdência e Assistência Social;
C. Conselho Nacional de Saúde;
D. Vigilância Sanitária;
E. Conferencia Nacional de Saúde.


21- Segundo a Lei8.142/90, a Conferência de Saúde deve avaliar a situação de saúde e propor as diretrizes para a formulação da política de saúde nos diversos níveis do sistema, reunindo-se a cada.
A. Ano
B. Dois anos
C. Três anos
D. Quatro anos
E. Cinco anos

22- A atenção Básica de Saúde representa um grande esforço para que o SUS se torne mais eficiente, estando centrada:
A. No diagnóstico e no tratamento mais especializado das doenças;
B. Na assistência ao cliente hospitalizado e na reabilitação com fisioterapia;
C. Na assistência à saúde secundária e terciária;
D. Nas ações de caracter individual e/ou coletivo, no nível primário.

23 A Lei 8.080, sobre o SUS, pode ser considerada insatisfatória no seguinte aspecto:
A. A população está excluída dos fóruns de discussão e decisão, mantidas as antigas estruturas decisórias nas mãos de grupos fechados nos gabinetes do Estado;
B. A estrutura proposta para o SUS termina por manter a antiga dicotomia ações preventivas x ações curativas;
C. A proposta de descentralização é frágil e não permite a quebra da tradição brasileira de centralização de decisões em nível federal;
D. As relações políticas e financeiras do SUS com o chamado sistema de atenção médica supletiva não foram regulamentadas.

24- A manutenção do SUS é custeada com recursos financeiros:
A. Da Seguridade Social e dos Municípios;
B. Da Seguridade Social e da CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeiras)
C. Da União, Estados e Municípios;
D. Da CPMF, tesoura dos estados e verbas municipais;
E. Da CPMF e verbas municipais.

25- Conforme detalhado na Norma Operacional da Assistência à Saúde(NOAS-SUS 01/01), no limite financeiro do município-sede deverá estar separado o montante de recursos destinado ao atendimento de sua população e o montante correspondente ao atendimento da população referenciada. NÃO se verifica no âmbito dessa estratégia:
A. O estímulo ao planejamento isolado entre gestores municipais;
B. O estabelecimento de diretrizes para a organização do primeiro nível de referência;
C. A introdução de novos mecanismos para a garantia da referência e a responsabilização dos estados no apoio aos municípios;
D. A organização de redes e coordenação do sistema de referência;
E. O avanço em termos de eqüidade na alocação de recursos.

26- Segundo a Norma Operacional Básica96 (NOB) do Ministério da Saúde, gerência é definida como:
A. A direção de um sistema de saúde municipal. Estadual ou nacional;
B. A administração de uma unidade ou órgão de saúde prestador de serviços ao SUS;
C. A administração de uma unidade ou órgão de saúde ou a direção de um sistema de saúde municipalizado;
D. A direção de órgãos coordenados de atividades de saúde no nível municipal , como a Vigilância Epidemiológica e a Vigilância Sanitária.

27- As ações de saúde dirigidas a grupos específicos da população, dentre outras, são:
A. Controle prioritário de crescimento e desenvolvimento na faixa de 0 a 10anos;
B. Controle e tratamento da Hipertensão Arterial e Diabetes Melittus;
C. Incentivo ao aleitamento materno exclusivo até 2meses de idade;
D. Cobertura de procedimentos odontológicos preventivos na população de 0 a 20 anos.

28- Dentre os objetivos da Norma Operacional da Assistência (NOAS/SUS), destaca-se o de:
A. Fortalecer a capacidade de planejamento e organização dos sistemas contratados;
B. Habilitar 50% dos municípios à gestão descentralizada do SUS além de agilizar e concluir a habilitação dos estados à Gestão Plena do Sistema Estadual(GPSE);
C. Não interferir no processo de habilitação de estados e municípios à gestão descentralizada do SUS;
D. Promover maior eqüidade na alocação de recursos e no acesso da população às ações e serviços de saúde em todos os níveis de atenção;
E. Responsabilizar as SME pela garantia de acesso dos municípios a toda rede privada.

29- A condição essencial para um município obter gestão plena do sistema de saúde municipal é apresentar:
A. Um Conselho Municipal de Saúde organizado;
B. Uma rede de prestação de serviços própria, pelo menos nos níveis primário e secundário;
C. Um plano de consórcio com municípios vizinhos, para oferecer uma rede de serviços completa à população;
D. Uma rede de prestação de serviços própria, pelo menos em no nível primário, podendo conveniar e credenciar os níveis mais complexos.

30- No Brasil, têm direito à assistência médica pelo SUS:
A. Todos os brasileiros, independentemente de qualquer condição;
B. Todos os brasileiros contribuintes da Seguridade Social;
C. Todos os brasileiros ou indivíduos residentes no Brasil, que possuam, no mínimo, certidão de nascimento;
D. Todos os indivíduos, brasileiros ou não, independentemente de qualquer condição.

31- A composição harmônica, integrada e modernizada do SUS visa, fundamentalmente:
A. Oferecer vínculos entre comunidade, entidades religiosas, grupos sociais e o SUS;
B. Oferecer serviços especializados em nível terciário;
C. Dar oportunidade de participação da população no Conselho Nacional de Saúde;
D. Dar oportunidade de participação da comunidade inviabilizando a de seus gestores.

32- O piso de Atenção Básica (PAB), assim como definido pela Norma Operacional Básica (NOB/SUS/96), é transferido mediante:
A. Produção de serviços ambulatoriais registrados no SAI/SUS;
B. Convênio entre os gestores do SUS;
C. Contrato entre os gestores do SUS;
D. Acordo político entre os gestores do SUS;
E. Repasse Fundo a Fundo.
33- A proposta de estimular a atividade comunitária junto aos serviços de saúde na condução do SUS tem como objetivo explicito:
A. Incrementar a participação e controle social;
B. Economizar gastos com recursos humanos;
C. Disciplinar , controlar e reprimir a população;
D. Economizar gastos com infra-estrutura de saneamento.

34- De acordo com política atual de saúde, é correto afirmar que:
A. O cidadão não tem direito ao atendimento odontológico de emergência;
B. Todo cidadão pode denunciar qualquer taxa de serviço cobrada ou má vontade na prestação de serviços de saúde;
C. A participação popular nos Conselhos Locais ou Conferências de Saúde não interfere nas ações políticas do municípios;
D. O Conselho Municipal de Saúde não participa do efetivo controle orçamentário da saúde.

35- O cálculo do repasse de recursos para os Programas de Saúde da Família depende do (a):
A. Volume de atendimentos executados pela equipe médica;
B. Volume de procedimentos executados pela equipe médica equipe de agentes comunitários de saúde;
C. Percentual de população coberta pelo programa;
D. Número de agentes comunitários treinados e em supervisão pela enfermagem;
E. Modalidade de gestão do município.

36- O Sistema Único de Saúde (SUS) é o conjunto de ações e de serviços de saúde prestados por órgãos e instituições públicas federais , estaduais e municipais:
A. Deve contar com a participação exclusiva dos órgãos públicos;
B. Não depende da contribuição vinda do Governo Federal para sua efetivação;
C. Deve garantir o atendimento universal, igualitário e integral a todo cidadão que dele precisar;
D. Conta, para sua efetivação, de forma exclusiva, com a participação dos representantes sociais e gestores municipais.

37- O enfoque epidemiológico no modelo de atenção a saúde proposto pela Norma Operacional Básica 96 recomenda aos municípios que:
A. Restrinjam as ações de saúde aquelas de cunho estritamente preventivo, pois são muito mais eficazes;
B. Identifiquem grupos de risco em cada município, para a eventualidade de ser necessário isolá-los em quarentena;
C. Privilegiem as ações de saúde centradas no meio ambiente , na qualidade de vida e na noção de atenção integral à saúde;
D. Notifiquem a emergência de epidemias em seu território à Fundação Nacional de Saúde, para que esta proceda a campanhas de imunização.

38- O montante correspondente a órteses e próteses é o (a):
A. Piso Assistencial Básico;
B. Remuneração de Atendimentos Hospitalares;
C. Índice de valorização de resultados;
D. Remuneração por Serviços de Diagnósticos;
E. Fração Assistencial Especializada.

39- Segundo a Norma Operacional Básica 96, a relação entre os serviços de saúde e a população deve Ter, como foco principal, uma ética pautada por:
A. Lógica política vigente em cada município;
B. Princípios básicos do código de ética médica;
C. Proposta coletiva que transcende o individual;
D. Padrões regionais definidos nas constituições estaduais.

40-Segundo a Norma Operacional Básica 96, executar ações de alta complexidade em vigilância sanitária é responsabilidade dos municípios em gestão;
A. Incipiente da atenção básica;
B. Parcial da atenção básica;
C. Semiplena da atenção básica;
D. Plena do sistema municipal;
E. Plena da atenção básica.



01B 02B
03D 04D
05C 06C
07 A 08C
09D 10B
11C 12 A
13B 14C
15B 16 A
17B 18E
19B 20E
21E 22D
23D 24C
25 A 26 B
27B 28D
29 A 30E
31 A 32E
33 A 34 B
35C 36C
37C 38E
39C 40D