terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Filmes Radiográficos

FILMES

1 A base do filme radiográfico é constituída por uma película de material transparente, flexível e de grande resistência ( durabilidade); O POLYESTER.
2 Como suporte de aderência dos cristais de brometo de prata, emprega-se uma substância coloidal, geralmente a gelatina orgânica de origem animal. Daí a sua perecividade.
3 A durabilidade de um filme virgem, varia de acordo com o tipo e a procedência, porém, a maioria conserva as suas características , aproximadamente, por 12 meses.
4 Após este período, o material orgânico entra em processo de deteriorização e não mais permite uma boa transparência.
5 Uma vez exposto à ação da luz ou qualquer energia, ionizante, o período de durante diminui rapidamente.
6 Excesso de temperatura ou alto nível de umidade também podem danificar o filme.
7 A sensibilidade do filme é determinada pela quantidade de energia que requer para atingir um determinado grau de precipitação. Quanto menor a quantidade de energia requerida, maior será a sensibilidade do filme.
8 Podemos, então, afirmar que a dosagem necessária para se obter uma boa precipitação é inversamente proporcional à sensibilidade do filme.
9 A combinação de bromo e prata (brometo de prata), assim como outros alógenos de prata tem a grande vantagem de poder variar o tamanho do cristal resultante. Durante a preparação da emulsão, o tamanho dos cristais podem ser pré-estabelecidos.
10 As emulsões de cristais maiores necessitam menor quantidade de energia para um mesmo grau de precipitação. Então,
11 O grau de sensibilidade do filme é diretamente proporcional ao tamanho dos cristais de sua emulsão.
12 São fatores que, também influem na sensibilidade do filme, a espessura e a quantidade da camada da emulsão. Nos filmes radiográficos comuns a emulsão é mais espessa e duplicada. Ambas as faces da película são emulsionadas.
13 Alguns filmes de aplicação especifica como o tipo MN ( medicina nuclear), além de serem emulsionados somente numa das faces, os cristais são extremamente finos o que os torna duplamente menos sensíveis.
14 Tecnicamente, o filme de maior sensibilidade é chamado de “filme brando” e o de menor sensibilidade de “filme duro”. São corretos, também os termos “rápido” e “lento” como sinônimo respectivamente de “brando” e “duro”.
15 Densidade radiográfica, é o grau de precipitação dos cristais de brometo de prata do filme, isto é, o grau de enegrecimento.
16 Se o filme permitir a passagem de 1/10 da luz incidente a densidade fotográfica será igual a 1. Passando 1/100, a densidade será igual a 2. Se passar somente 1/1000, o filme estará quase totalmente negro, e a densidade será igual a 3. Se a luz incidente atravessar o filme estará totalmente transparente e a densidade será igual a 0.
17 Contraste radiográfico é a relação entre as diferentes tonalidades das cores do filme, que varia do preto (opaco) ao branco (transparente).
18 O grau ideal do contraste obtém-se quando as imagens de várias estruturas são perfeitamente visíveis.
19 O excesso ou falta de densidade prejudica o contraste.
20 Nitidez ou definição é a quantidade da imagem radiográfica quando é constituída por pontos e linhas finas e firmes, como se tivessem sido traçados a “bico de pena”.
21 Detalhe Radiográfico – consideram-se dois tipos distintos de detalhes: o mono estrutural e o poli estrutural. O primeiro refere-se à riqueza de estrutura de uma região constituída por elementos químicos de mesmo número atômico, (tecido ósseo por exemplo). O segundo quando na radiografia apresentam-se imagens de varias estruturas constituídas por elementos de números atômicos diferentes, (por exemplo: trama pulmonar, tecido muscular e tecido ósseo).
22 Filme de cristais de Brometo de Prata menor produz imagem mais nítida. A nitidez da imagem é inversamente proporcional ao tamanho dos cristais.
23 Os vários tipos de filmes radiográficos não podem ser utilizados indiscriminadamente. Cada tipo possui características diferentes e objetivas, e com finalidades especificas.
MANUSEIO E CUIDADOS ESPECIAIS
1 Como já foi visto, existe um limite de durabilidade do filme. Portanto, não se deve estocar quantidade superior ao consumo médio de alguns meses.
2 Deve ser armazenado em compartimento arejado e seco e de preferência em sala interna.
3 Manter as caixas dispostas em posição vertical.
4 É aconselhável um sistema de identificação da data de armazenamento de modo a utilizar sempre os mais antigos.
5 Não pode ser armazenado com qualquer produto radioativo.
6 Evitar queda das caixas ou qualquer choque na embalagem.
7 O estoque não pode ser feito próximo das salas de exames radiológicos.
8 Manter na câmara escura somente o necessário para um dia de trabalho.
9 Manusear sempre com delicadeza, segurando-o nos bordos e mantendo a película sempre na posição vertical.
10 Não manter o filme dentro do chassis por mais de 48 horas. Se não for utilizado dentro deste período, deverá retirar e recolocá-la na caixa.
11 Chassis carregados não devem permanecer nas salas de exames e exposto à possível radiação dispersa.
12 Se o processamento for manual, após a imersão no químico revelador,a gelatina se dilata e fica menos consistente. Manusear com cuidado para evitar arranhões.